Como se Tornar um Agile Coach Solucionador (Parte 2)

Continuando a nossa série de postagens sobre Agile Coach, o segundo grande tema da nossa LIVE é como fornecer uma solução para um problema. Se você perdeu o primeiro post, clique aqui para ler.

Tem pessoas que focam na RESOLUÇÃO do problema, enquanto outras o focam apenas na IDENTIFICAÇÃO dele.

Temos mais facilidade em identificar e apontar problemas do que propriamente em resolvê-los.

Vou citar um exemplo pra ficar mais fácil, isso é bem normal quando vou no banco, pra começar, eu só vou em um banco físico hoje em dia, quando eu já esgotei todas as possibilidades de resolver um problema sozinha, o motivo disso vocês já devem imaginar 🙂

Sempre que eu troco de aparelho de celular, ou de fuso horário quando viajo, eu sou obrigada a ir em uma agência para cadastrar um novo “token” para que eu consiga acessar minha conta bancária novamente. Pra tentar resolver esse incomodo, (eu não costumo trocar de aparelho com frequência) mas pensei: “se eu pudesse nunca mais ter que vir até a agencia por causa do Token seria fantástico!”

Então, quando chegou o dia de trocar de celular, eu fui até uma agencia e solicitei um token físico (desvinculado do smartfone) pra não ter que ir a agencia nunca mais.

Demorou algum tempo para o gerente entender o meu problema ali. Ele não queria me ouvir, insistiu muito para criar o token no meu celular. 

Então ele me perguntou:

Como assim token físico, ninguém solicita mais isso.

Eu prontamente respondi

Ué, aquele do cartão ou um tag que você aperta e aparecem os números, muitas pessoas usam até hoje e funcionam muito bem.

Mas se você já usou o digital não tem porque usar aquele? Vamos ativar novamente no seu celular.

Eu insisti, expliquei dos problemas envolvidos, e ele revelou que não sabia como ativar o cartão ou tag, que só conseguia ativar caso fosse pelo celular.

Então pedi que chamasse outra pessoa que trabalhasse há mais tempo na agencia. Quando você não sabe resolver um problema, você pode pesquisar ou perguntar.

Infelizmente os outros gerentes tinham ido almoçar.

Eu disse que podia esperar, já que estava ali há algum tempo, então sugeri que ele ligasse pra alguém perguntando sobre como fazer um token físico (veja que novamente eu estou passando a possível solução pra ele)

Depois de fazer a ligação, ele disse que talvez isso poderia ser feito somente na minha agencia, em outra cidade. Eu sugeri que ele ligasse pra minha agencia, e tentasse fazer via telefone com o gerente de lá. (Sim, mais uma solução…)

Depois de um minuto no telefone, ele conseguiu ativar o cartão de códigos. Mas no final, lembro que não deu certo e voltei pra ativar o token…

Em resumo, o gerente fez de tudo para não aprender como habilitar o token físico… Perceba que ao criar o token no meu celular, ele não estava resolvendo o problema, ele só queria se livrar de mim e do problema naquele momento e não estava preocupado em resolvê-lo. 

Fui eu que insisti, e o direcionei para as opções de possível solução.

Essa ineficiência em não fazer questão de resolver os nossos problemas é considerada como normal na nossa cultura.  

“Eu tapo o sol com a peneira, me livro o mais rápido possível agora, e depois outro que se vire para resolver de vez.”

Mas o que quero deixar registrado aqui, é que um ano depois, eu fui assaltada com o celular desbloqueado. Conseguiram transferir dinheiro da minha conta deste banco, utilizando o Token que estava instalado no celular. E no dia seguinte, no banco (em uma outra agencia) e me deram um token físico de tag funcionando perfeitamente. 

O dinheiro transferido eu consegui recuperar, mas tive muuuuita dor de cabeça, perdi dois dias na agência… E sabe quanto de dinheiro eu deixo nesse banco hoje em dia? Zero.

Eu tenho muitos exemplos no meu dia-a-dia e acredito que você também. Principalmente em bancos, mercados e aeroportos, onde você precisa o tempo todo insistir, implorar ou conduzir a pessoa para pensar na solução. Portanto, não seja esse tipo de pessoa… e ajude as pessoas ao seu redor a não serem assim também.

Conclusão

Mesmo que você ainda não esteja no trabalho dos seus sonhos, foque em solucionar problemas, isso trará a sensação verdadeira de que há em você tons da ordem da eficiência, o que tornará qualquer trabalho mais leve, mais prazeroso.

Se você identificar um problema, foque em RESOLVÊ-LO, afinal a capacidade de identificar problemas é muito importante, mas identificar um problema e parar é muito melhor.

Como uma das principais habilidades que eu vejo em um Agile Coach é a proatividade, aquela pessoa que desenrola os problemas e sai da cadeira.

Gostou desse post? Comete aqui pra nós!